2016 | Débora Seabra de Moura
Professora auxiliar na Escola Doméstica de Natal; Palestrante em diversas cidades do Brasil, em Buenos Aires/Argentina e na Ilha da Madeira, Portugal; Palestrante em 2014, na ONU (Nova York), no dia Internacional da Síndrome de Down; Recebeu diversas homenagens em diferentes ocasiões: Dia Internacional da Mulher na Câmara dos Vereadores; várias homenagens no Dia Internacional da Síndrome de Down, na Câmara dos Deputados capitaneado por Romário; Homenageada com a medalha do Mérito Governador Dinarte Mariz no Tribunal de Contas do Estado, Prêmio Darcy Ribeiro de Educação na Câmara dos Deputados em 2014; Escolhida pelo BLOG Diversidades como uma das mulheres que fizeram história no RN; Publicou o Livro Débora conta histórias; Escolhida como condutora da Tocha Olímpica, nas Olimpíadas de 2016; Cursou três anos de curso de teatro no Centro Experimental de Pesquisa e formação Teatral, eventualmente participa de Oficinas de Teatro.

2016 | Alexandre Caldini
É Administrador de Empresas formado pela PUC/SP, com cursos de Educação Executiva em Harvard e no Massachussets Institute Of Technology, nos Estados Unidos; em Cambridge e na London Business School, na Inglaterra e no Insead, na França.  Foi Presidente da Editora Abril e do Jornal Valor Econômico, é também palestrante e escritor; Seus quatro livros versam sobre temas espíritas, sendo que um deles, “A Morte na Visão do Espiritismo”, esteve na lista dos mais vendidos das revistas Veja e Época e do Jornal Folha de São Paulo, e vendeu mais de 50 mil exemplares.

2016 | João Gilberto Noll
Nasceu em Porto Alegre; É autor de treze livros, entre eles O cego e a dançarina (1980), A fúria do corpo (1981), Bandoleiros (1985) e Lorde (2012), todos publicados pela Editora Record; Recebeu mais de dez prêmios literários, incluindo o Jabuti em cinco ocasiões: 1981, 1994, 1997, 2004 e 2005; Seu romance Harmada (Companhia das Letras, 1993) consta da lista dos 100 livros essenciais brasileiros em qualquer gênero e em todas as épocas da revista Bravo!; Seu conto Alguma coisa urgentemente foi adaptado em 1984 para o cinema com o título Nunca fomos tão felizes. Dirigido por Murilo Salles e estrelado por Cláudio Marzo; Tem títulos publicados na Argentina, Inglaterra, Itália, Israel, Macedônia e Portugal; Trabalhou como jornalista na Folha da Manhã e Última Hora (1969) e como revisor na Companhia Editora Nacional (1970) e colaborador do jornal Correio Braziliense.

2009 | Ariano Suassuna
Ariano Villar Suassuna é paraibano e nasceu no dia 16 de junho de 1927. Por ocasião da morte de seu pai, João Urbano Pessoa de Vasconcellos Suassuna – figura importante no cenário político do Estado e -, assassinado por motivos políticos, Ariano e família foram obrigados mudar de endereço por várias vezes a fim de evitar represálias dos opositores. Em 1934, o futuro escritor iniciou seus estudos no Recife e logo após concluir o curso Clássico, ingressou para o curso de Direito. Em 1947, escreveu sua primeira peça teatral, "Uma mulher vestida de sol", e ganhou o Prêmio Nicolau Carlos Magno. Sempre muito elogiado, Ariano continuou a escrever suas peças, e no ano de 1955, deu vida a sua obra mais conhecida: “O Auto da Compadecida. Hoje, o autor é considerado uma sumidade na literatura brasileira e reconhecido em todo o país e no exterior.
2009 | Fabrício Carpinejar
Fabrício Carpinejar, 36 anos, é gaúcho, poeta, cronista, jornalista, professor e mestre em Literatura Brasileira pela UFRGS. Vem sendo aclamado por escritores do porte de Carlos Heitor Cony, Millôr Fernandes, Ignácio de Loyola Brandão e Antonio Skármeta como um dos principais nomes da poesia contemporânea. O escritor tem levado o lirismo para lugares antes cativos da prosa, criando uma empatia com o público e destruindo estigmas do gênero. O blog de Carpinejar, onde reúne suas crônicas, superou a marca de meio milhão de visitantes. Extensamente premiado, é autor de treze livros, oito de poesia.
2009 | Marcelo Migueres
Marcelo Migueres é carioca, 38 anos, técnico em meteorologia, administrador de empresas, professor particular e, sobretudo, um apaixonado pelo futebol brasileiro. Marcelo se especializou na pesquisa esportiva e tem como diferenciais a informação, a curiosidade e o bom-humor. Migueres entrou fundo no mundo do futebol em 2002 quando resolveu organizar a exposição “Grandes Clubes Brasileiros” no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, onde trabalha há mais de 10 anos.
2008 | Fernando Morais
Jornalista desde 1961, Fernando Morais (1946, Mariana-MG) trabalhou na redação do Jornal da Tarde, Folha de S. Paulo, Veja e TV Cultura, recebendo por 3 vezes o prêmio Esso e quatro vezes o Prêmio Abril de Jornalismo. Foi deputado estadual por 8 anos e ocupou, por 3 anos, o cargo de secretário da Cultura e da Educação do Estado de São Paulo. Escreveu, entre outros, Transamazônica (1970, com Ricardo Gontijo e Alfredo Rizutti), A Ilha (1975, reeditado em 2001), Olga (1985, reeditado em 1993), Chatô, o rei do Brasil (1994), Corações sujos (2000), Cem quilos de ouro (2002), Na toca dos Leões (2004), Montenegro (2006) e O Mago (2008). O último se trata da biografia do mais lido e polêmico e escritor brasileiro, o super-star, Paulo Coelho. Fernando Morais trabalha, desde 2006 em dois projetos ousados: a biografia do político baiano Antônio Carlos Magalhães e um livro em que o ex-ministro José Dirceu narra sua passagem pelo Governo Lula.
2008 | Gabriel O Pensador
Cantor e compositor de letras de crítica social, Gabriel O Pensador (1964, Rio de Janeiro-RJ) é um dos maiores nomes do rap brasileiro. O rapper surgiu no ano de 1992 com sua primeira composição intitulada Tô feliz, matei o presidente e de lá para cá suas músicas não pararam de estourar. Além da carreira de sucesso como músico, Gabriel se destacou como escritor em 2006, quando seu segundo livro, Um garoto chamado Roberto, recebeu o Prêmio Jabuti de Melhor Livro Infantil, o segundo de sua carreira.

2008 | Laurentino Gomes
Laurentino Gomes (1956, Maringá-PR) foi eleito em 2008 pela Revista Época uma das 100 pessoas mais influentes do ano. Esse título reconhece o mérito de conseguir vender mais de meio milhão de exemplares de um livro que fala da história do Brasil. A obra se chama 1808, Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil e foi agraciada com o Prêmio Jabuti nas categorias Melhor Livro-reportagem e Livro do Ano e também com o Prêmio de Melhor Ensaio, Crítica ou História Literária de 2008 da Academia Brasileira de Letras.

2008 | Marcelino Freire
Marcelino Freire (1967, Sertânia-PB) é autor de EraOdito – compilação de aforismos – e dos contos reunidos nos seus livros Angu de sangue e BaléRalé, todos publicados pela Ateliê Editorial. Em 2002, idealizou e editou a Coleção 5 Minutinhos, inaugurando com ela o selo eraOdito editOra. É um dos editores da PS:SP, revista de prosa lançada em maio de 2003, e um dos contistas em destaque nas antologias Geração 90 e Os Transgressores.

2008 |Maçal Aquino
O jornalista, Maçal Aquino (1958, Amparo-SP), trabalhou como revisor, repórter e redator do Jornal a Tarde e O Estado de S. Paulo. Atualmente, trabalha como jornalista free-lancer, escreve ficção adulta e juvenil, faz roteiros para o cinema e atuou como consultor no IV Laboratório de Roteiros Sundance/RioFilme, a convite do Sundance Institute dos EUA, em 2002. É também responsável pelo roteiro da série Força Tarefa da Rede Globo.

2007 |Caco Barcellos
Caco Barcellos (1950, Porto Alegre-RS) iniciou sua carreira jornalística na Folha da Manhã. Durante a ditadura militar, trabalhou em veículos de imprensa alternativa. Nos seus quase 30 anos de profissão, com passagens pelas revistas Repórter, Isto É e Veja, já cobriu guerras, catástrofes, guerrilhas e se dedicou a grandes reportagens investigativas, entre elas, a que deu origem ao livro Rota 66, que documenta o assassinato de 4.200 jovens pela Polícia Militar de São Paulo. Caco Barcellos foi por duas vezes vencedor do Prêmio Jabuti e suas reportagens especiais receberam dezenas de prêmios. Desde 1985 é repórter da Rede Globo e hoje apresenta o programa Profissão Repórter

2007 |Xico Sá
Xico Sá (1962, Cariri-CE) é jornalista e escreve para publicações de circulação nacional, entre elas a revista da Folha, Trip e TPM. O escritor tem títulos publicados e classificados em diversos estilos literários, como a compilação de crônicas Modos de macho & Modinhas de fêmea, o livro de reportagem Divina comédia da fama, nova geografia da fome, o haikai Paixão Roxa, o idílio Se um cão vadio aos pés de uma mulher-abismo e o livro de prosa cantada Do Catecismo de devoções, intimidades & pornografias. Foi também publicado nas coletâneas de contos Boa Companhia, Os Cem Menores Contos do Século e Dentro de um Livro.
2007 |Antônio Torres
Antônio Torres (1940, Sátrio Dias-BA), nasceu no povoado do Junco e lá descobriu sua vocação literária incentivado por sua professora. Logo começou a escrever as cartas dos moradores da cidade, a recitar poemas de Castro Alves na pracinha e a ajudar o padre a rezar a missa em latim. Estudou em Alagoinhas e Salvador, onde se tornou repórter do Jornal da Bahia. Foi jornalista e publicitário em São Paulo e Portugal. Depois de muitas andanças, radicou-se no Rio de Janeiro, onde reside. Com livros traduzidos em países como Itália, Argentina, México, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Portugal, Bélgica, Holanda, Israel, Bulgária, hoje é um dos escritores mais conhecidos de sua geração.

2007 |Elisa Lucinda
Atriz reconhecida em todo o país, Elisa Lucina (1958, Vitória-ES) estreou a peça O semelhante, declamando seus versos e conversando com a platéia, no Rio de Janeiro e teve temporada de sucesso em várias outras capitais. No mesmo formato apresentou EUTEAMO Semelhante, também com excelente receptividade. Publicou os livros A menina Transparente, Euteamo e suas estréias, O Semelhante e a trilogia infantil Coleção amigo oculto, entre outros títulos. Gravou os cd’s de poesias Semelhante e Euteamo e suas estréias.
2007 |Daniel Galera
Escritor e tradutor literário, Daniel Galera (1979, São Paulo-SP) foi um dos precursores do uso da internet para divulgação da literatura, editando e publicando textos nos portais e fanzines eletrônicos mais expressivos do Brasil. Traduziu 13 livros, predominantemente das novas gerações de autores ingleses e norte-americanos, incluindo o romance Traisnpotting e Pornô de Irvine Welsh. Daniel Galera tem quatro livros publicados: a antologia de contos Dentes guardados (2001) e os romances Até o dia em que o cão morreu (2003), Mãos de cavalo (2006) e Cordilheira (2008), agraciado com o Prêmio Machado de Assis de Romance, concedido pela Fundação Biblioteca Nacional em 2008.

2007 | João Paulo Cuenca
Autor de Corpo presente (2003), O dia Mastroianni (2007) e co-autor de Parati para mim (2003), João Paulo Cuenca (1978, Rio de Janeiro-RJ) também é colunista da Revista Trip e da Magazine – suplemento do jornal O Globo. Além disso, escreveu crônicas semanais para a Tribuna da Imprensa e para o Jornal do Brasil entre 2003 e 2005. Antes de Corpo Presente, seu livro de estréia, publicou contos nas revistas Ficções, Playboye Ácaro, e em diversos sites, como TXT magazine, Falaê, Mood e Spamzine. Participou das coletâneas Dentro de um livro (2005), Contos sobre tela (2005), Paralelos (2005) e Prosas Cariocas (2004).
2006 | Danuza Leão
Danuza Leão (1933, Itaguaçu-ES) é uma mulher repleta de boas idéias e um talento literário de primeira. Aos 17 anos largou tudo e foi para Europa trabalhar. Já foi atriz, manequim, promoter, jurada de auditório, apresentadora, produtora de novela, dona de butique, relações públicas, colunista, foi casada com o jornalista Samuel Wainer, fundador do extinto jornal Última Hora e é irmã da cantora Nara Leão. É autora dos livros como Na sala com Danuza, As aparências enganam e Quase tudo, sua autobiografia. Atualmente é colunista do jornal Folha de São Paulo.

2006 | Affonso Romano de Santana
Com uma produção diversificada e consistente, Affonso Romano de Santana pensa o Brasil e a cultura do seu tempo e se destaca como teórico, poeta, cronista, professor, administrador cultural e jornalista. Com mais de 40 livros publicados e diplomado em Letras, foi professor em universidades da França, Alemanha e Estados Unidos e em diversas universidades brasileiras. Affonso também foi cronista no Jornal do Brasil e do jornal O Globo. Atualmente escreve para os jornais Estado de Minas e Correio Brasiliense.

2005 | José Arrabal

José Arrabal é professor universitário, jornalista e escritor. Autor de livros de ficção, ensaios, biografias, peças de teatro e poemas, publicou cerca de 40 obras, no Brasil e exterior, para crianças e jovens. Seu livro A princesa Raga-Si recebeu o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA). Escreveu obras que mostram o olhar vários cantos do país, tendo escrito Lendas brasileiras, resultado de andanças pelo Brasil afora. Assim, escreveu sobre as lendas do Norte, Nordeste e Sudeste e, num segundo livro, sobre as do Centro Oeste e Sul.

Arrabal escreveu ainda O livro das origens, pleno de ritmo e poesia, mostrando a origem da vida e das coisas, das aventuras, dos dramas e das paixões contados por vários povos, entre eles, o amazonense e o paraense.
2005 | Ignacio de Loyola Brandão
Ignacio de Loyola Brandão é contista, romancista e jornalista. Desde pequeno, sonhava conquistar o mundo com sua literatura e voltar vitorioso para sua cidade natal. Sua carreira começou em 1965 com o lançamento de Depois do sol, livro de contos no qual o autor já se mostrava um observador curioso da vida na cidade grande. Trabalhou como editor da Revista Planeta entre 1972 e 1976. Dono de um "realismo feroz", em 1975 seu romance Zero, publicado inicialmente em tradução italiana, foi proibido pela censura no Brasil e liberado somente em 1979. No ano de 2008, o romance O Menino que vendia palavras, deu a Ignacio de Loyola Brandão o Prêmio Jabuti de Melhor Livro de Ficção.
Patrocinio|Apoio